segunda-feira, 5 de fevereiro de 2007

Tradução: more 300 boys for the jobs

In TSF Online


Governo anuncia reforço de mais 300 funcionários
O ministro das Finanças anunciou, esta segunda-feira, quea Inspecção-Geral das Finanças vai ser reforçada, em 2007, com mais 300 funcionários. Teixeira dos Santos sublinhou que se trata de um reforço que já começou no ano anterior.

Para reforçar o combate à evasão fiscal, a Inspecção-Geral das Finanças vai ser reforçada, em 2007, com mais 300 funcionários, anunciou esta segunda-feira o ministro das Finanças, sublinhando que este reforço já começou no ano anterior. «Tivemos quase 300 novos inspectores em 2006 e, em 2007, teremos mais de 330 novos inspectores na área da inspecção tributária, o que se traduz no conjunto dos dois anos num reforço considerável dos meios humanos afectos a esta área», afirmou.


Quem no tempo de Salazar dizia que as finanças e respectivos agentes eram os "cães de fila" do regime não imaginava o que estava para vir. Trezentos funcionários para detectar fraudes fiscais dos que têm tarimba na alta finança? Não creio, pois para isso bastava apenas um bom funcionário e uma Justiça e respectiva legislação cuja rapidez lhe desse cobertura. Trezentos funcionários para andar a fazer penhoras a miseráveis? Para quê se essas penhoras não lhes pagam metade do ordenado e demais benesses?!
Governo após governo este país vive sob a raiva fiscal por parte de executivos ministeriais sugam a cada vez mais depauperada classe média, mas por outro lado aumentam as despesas nos mais variados disparates.

2 comentários:

pequena papoila disse...

Que mau humor, Pedro! "Cães de fila" e "crápulas" degenerados é um pouquito forte, eles são apenas meros funcionários ao serviço do Estado no sector da Inspecção-Geral de Finanças, recrutados a mando do famigerado ministro das Finanças, Teixeira dos Santos! Ele é que merece tais epítetos...
E, quanto a viver neste país (de brandos costumes), seria ou será... "ridículo e "asqueroso", porém o pessoal lá se vai habituando, aliás, já está há muito tempo, habituado a estes 'desgovernos' e governos!

Áurea

Pedro disse...

Tem toda a razão, Áurea. Falou o meu mau humor que a Áurea já teve oportunidade de conhecer. Às vezes é difícil, mas hei-de conseguir vencê-lo!
Quanto aos epítetos, eles não eram dirigidos aos funcionários: Deus me livre, pois tenho familiares e amigos nas Finanças. Era sim para os sucessivos governos que nos vêm desgovernando e cuja única solução têm para o défice é o aumento de impostos, enquanto em simultâneo aumentam a despesa pública, por mais que se diga que há um enorme excedente de funcionários do Estado.