sexta-feira, 20 de março de 2009

Se bem me lembro...

... em minha adolescência, em plenos anos 80, de ler e ouvir sapientes vozes nos media que lastimavam a pobreza do parque automóvel nacional (cujas estradas da época, by the way, nem tanto mereciam) e bradavam em eloquentes tons estatísticos que éramos o povo que menos trocava de carro e, por outras palavras, com mais chaços a circular pelas "sofisticadas" vias nacionais.
Os padrões civilizacionais de referência vinham da "Europa", e dos "Europeus" os quais tinham os bons ordenados e os bons carros. Muito menos palavras se gastava na abordagem da inexistência de indústria e de produção automóvel por cá, a qual desmontaria o argumento dos indignados que reclamavam barriga de rico para quem tinha e tem bolsa de pobre.

O acesso generalizado ao crédito e o desterro constante das famílias para os arrebaldes mais fedorentos e mal urbanizados das ditas grandes urbes "modernizaram" o nosso Zé Povinho que daí em diante viveria na mentira do dinheiro fácil e das necessidades imperiosas que antes eram luxos. Seus parceiros europeus e respectivo modelo social também agora se vêem desenganados, mas pelo menos esses produziam a "lata" que compravam, antes de os "empregos" se deslocarem para China, Paquistão e quejandos pois não há rentabilidade que resista a modelos sociais e fiscais, ditados pela ditosa Bruxelas onde Jack Delors imperava e apenas Thatcher lhe fazia frente.

A pujança por cá foi tanta que em 1989, o ministro das Finanças de então, Miguel Cadilhe haveria de pôr um pouco de cobro ao pagode e, em pleno estilo intervencionista, proibiu a venda a prestações de carros com mais de 1.4 cm3 de cilindrada caso não fosse dada entrada de 50% do valor total.

Mas que tempos esses! Ao recordá-los não será difícil vermos os arquétipos desta época actual, caracterizada por crise.

2 comentários:

once disse...

que tempos! diz e bem Pedro .. e que carros :) o meu Pai teve dois .. toda a vida.

Votos de um bom fim-de-semana.

Pedro disse...

Uma coisa é certa, Once: custavam mais a ganhar.
Bom fim-de-semana também para si e obrigado pela visita.