segunda-feira, 21 de maio de 2007

Tiros nos pés

Já me mete nojo o hábito da moda entre a blogosfera, pretensamente, conservadora e liberal de denegrir os partidos da – já de si pouca – direita existente em Portugal. A direita portuguesa tem múltiplos defeitos. Os partidos políticos portugueses, inclusive os da direita, têm montanhas de defeitos. Acontece que em democracia a intervenção cívica, política e social é feita principalmente pelos partidos e sem estes as ideias das diversas correntes ideológicas perdem projecção e concretização.
Daí que não percebo o papel de muita da blogosfera, que se assume como liberal, libertária, conservadora, etc. que não seja o de querer contribuir para novas vitórias socialistas e da esquerda em geral.

5 comentários:

JÚLIO SILVA CUNHA disse...

Não percebo! Vamos fingir e assobiar para o lado perante os ridículos partidos de direita existentes em Portugal? A verdade passou a ser um mero adereço face ao objectivo do poder?

O problema é que muito bloguer liberal não tem agenda partidária e por isso está se marimbando para a má imagem que os seus textos acrecentam aos partidos da dita direita lusa!!!
Cumprimentos.
J.

cristina ribeiro disse...

Ó Pedro,desculpe lá,mas os partidos que temos tido no poder,um assumidamente socialista,o outro que não se assume como tal,mas que,na prática o é também,e o que lá vai de vez em quando-embora,é verdade,sem grande poder de decisão-,não deixam alternativa:é que já estamos cansados!Só conseguem passar a mensagem de que estão lá pelo poder,e o resto que se lixe.

Sininho disse...

O diabo é as pessoas quererem partidos perfeitos e políticos sem mácula.
Disso, só mandando fazer nas Caldas...
Todos os partidos são constituídos por homens imperfeitos, longe de serem santos.
Se falam pouco, perdem visibilidade.
Mas quanto mais falam, mais se expõem, mais a geito se colocam para serem atacados.
E, valha a verdade, da esquerda à direita, já não há nada de novo.
É cansativo ouvir repetir os mesmos argumentos, consoante se está no governo, ou na oposição.
E, fora disto, só uma ditadurazinha para desenjoar e fazer assentar a poeira...
Esperemos que "no pase nada"...

Pequena Papoila disse...

Pois... mas a verdade, verdadinha, é que os poucos partidos de centro/direita e direita, existentes em Portugal, perderam a consistência e capacidade de liderança, e, assim sendo, os partidos de centro/esquerda, e de esquerda é que ficaram a ganhar com a situação, principalmente o partido socialista, que até adopta políticas de centro/direita!
Para mim, Pedro, estas questões políticas não passam de jogos de poder e de cadeiras também, entre o PSD E PS. Os tais "especialistas em ciência política" e conservadores/liberais deveriam fundar/formar um partido e colocar em prática os seus ideais, em vez de ficarem apenas a dissertar longamente, mas um pouco em vão, sobre as suas filosofias ideológicas e políticas na blogosfera. :)

Pedro disse...

Caro Júlio

Não precisamos de assobiar para o lado perante nenhuma questão que nos diga ou não respeito, o que eu critico é alguns bloggers que por aí andam que denigrem repetidamente certos partidos e respectivas personagens, precisamente em obediência à agenda do seu partido. Outros apenas critico o diletantismo teórico. É um direito que tenho. :)))

Cristina
Tem toda a razão, não há pachorra para o nosso bloco central. Mas, nem era bem a ele que me referia.

Sininho
Estou realmente em sintonia contigo: em democracia escolhemos, sempre, o mal menor. O ideal não existe.

Áurea
É verdade que quando a direita perde consistência e liderança quem lucra é a esquerda. O pior também é a característica autofágica da direita que por vezes gosta de se auto-anular.