quarta-feira, 6 de março de 2013

Crónica de uma morte anunciada...


... Ou será uma morte orquestrada por já ter ocorrido antes do tempo da sua anunciação? Curioso como nos dias de hoje, a morte merece loas de advento e o nascimento crime sem exéquias...
Por aqui, as lágrimas de crocodilo e as estafadas homenagens dos ditos revolucionários (mereçam eles o prefixo de nacional ou não...) têm chovido por parte de gente que não faz ideia o que tem sido a miséria, pobreza e sentimento de impotência perante o caos e o crime do povo venezuelano dos últimos vinte anos. Dizem-se patriotas e nacionalistas, mas ignoram crimes perpetrados contra portugueses que se viram seu direito de propriedade violado de modo arbitrário perante seus frutos de trabalho conquistados ao longo de anos e anos. 
Como já tive oportunidade de aqui referir, quem confunde geoestratégia e política internacional com ideologia e política interna acaba produzir mitos tão ridículos, tais quais o marxismo cultural tem vindo a produzir nos últimos 60 anos. 
Em suma, espero que, na Venezuela, quem suceda a Hugo Chávez mantenha a defesa intransigente da soberania e independência em relação aos Estados Unidos. Mas reconheça os erros clamorosos do socialismo que estupidamente foram neste país repetidos, à semelhança de outros pontos dispersos no Globo, trazendo apenas e só a escassez, a pobreza e a miséria - pena que a miséria mental de alguns ainda teça loas a este sistema político-económico.

2 comentários:

V_ Leal disse...

Alguns colocam que o fim da miséria justifica a falta de liberdade, que crime! Recentemente uma jornalista brasileira atacou Yoani Sánchez com esse argumento, empobrecimento mental como vc coloca em seu texto. Mas ainda há pessoas esclarecidas como vc, que bom!

Pedro Félix disse...

Estimada Leal, sem falsas modéstias, estou longe de ser esclarecido e coloco sempre em dúvida o que sei. A verdade, essa vai-se desenhando por linhas tortas, acho que só a atingimos por uma convicção intuitiva... No meu modesto caso acredito mais em factos do que em teorias.
Bem-vinda, amiga, volte sempre! :)