sexta-feira, 13 de abril de 2007

Ora venham, quantos são? quantos são?

In JN

Militantes do PNR vigiam cartaz no Marquês de Pombal
Fazem turnos rotativos para evitar que seja de novo vandalizado
Doze militantes do Partido Nacional Renovador (PNR) estão a vigiar o novo cartaz colocado na rotunda do Marquês de Pombal, em Lisboa, para evitar que seja vandalizado.

Se eles não se tivessem organizado por turnos, eu penso que seria de boa justiça haver uma comissão voluntária que lhes levasse uns pãezinhos com chouriço e uns pacotes de leite, ou sumo, pois os militantes do PNR (agora fora de brincadeiras) e todos os outros estão no seu direito de zelar por algo que pagaram e pelo qual pediram licença.

4 comentários:

Sininho disse...

Não deixa de ter uma certa graça como alguns, que enchem a boca com ferozes críticas anti-censura, deixam logo caír a máscara, assim que paira no ar o mais leve cheirinho a PNR.
E eles até agradecem o falatório...

Pedro disse...

Agradecem à amabilidade involuntária dos paspalhos do costume.
Urge fazer um museu (com centro de investigação) "antifascista" e do politicamente correcto.

Pequena Papoila disse...

Taditos :P, estão no seu direito de fazer a sua propaganda de políticas arrevesadas; só os segue quem quer, ninguém é obrigado... só me faz sorrir :) é tanta celeuma à volta do caso, seja vinda da esquerda como da direita.
Os cidadãos esclarecidos não lhe prestam a mínima importância, porque realmente não a têm, sendo ignorados por quase todos, pela sua insignificância e irrelevância; o resto é só especulação e fobias ancestrais, sem quaisquer razões para tal, pois vivemos numa Democracia madura (embora esporadicamente, ou por vezes assiduamente, algo corrupta)! :S

Áurea

Pedro disse...

"Os cidadãos esclarecidos não lhe prestam a mínima importância"
O problema são os menos esclarecidos... Quanto mais não seja quando se dedicam a destruir os cartazes deles e se for preciso daqui por dois anos estão a votar neles.