quarta-feira, 25 de abril de 2007

Homens a quem devemos a liberdade

António de Spínola (n.1910 m.1996)

6 comentários:

Sininho disse...

Sem dúvida que estes dois, Salgueiro Maia e Spínola merecem ser relembrados hoje.
Acho uma indignidade que tenham suprimido da História o nome de Spínola. Nem uma referência, no dia de hoje.
Sinto uma certa amargura por ver, sistemàticamente, a sua figura tão mal tratada na comunicação social. Como se tivesse sido a encarnação da extrema direita que quis travar a revolução...

Pedro disse...

E que é uma mentira infame e nojenta. Ele idealizou um revolução para a democracia e não para a palhaçada que foi o PREC, aoq ual ele desde logo se opôs, o que enfurece os "democratas" à portuguesa.

Pequena Papoila disse...

António Spínola, mais um homem que foi relegado e esquecido, pelos oportunistas que hoje estão confortavelmente bem instalados na Vida e no Poder...

Pedro disse...

Ora Áurea, mas eles não são egoístas, pois não querem a palhaçada só para eles, também nos fazem a nós de palhaços.

libertas disse...

Spínola, um Homem digno e honrado que o «nosso» esquerdalho quer fazer esquecer. Um lutador pela liberdade que colocou em risco a própria vida. Um exemplo para qualquer português. Um dos grandes portugueses...

Nota: precisamos que o ministério da educação deixe de ser um nicho da esquerda! Ao fim de 33 anos já é tempo...

Pedro disse...

Libertas,
O rumo que se segue não augura nada de bom, em especial no que concerne à Educação...