domingo, 15 de abril de 2007

Era uma vez no Leste Europeu

Em memória de seis milhões de vidas que nunca mais voltarão! E a memória dos homens que é tão indecentemente curta...

5 comentários:

feel it disse...

Porque a velocidade com que os noticiários abrem com estes temas, quando estes estão quentinhos...é a mesma com que os esquecem quando os ânimos começam a acalmar!

Sininho disse...

O que hoje incomoda, amanhã já esqueceu.
Todos somos fàcilmente descartáveis, a partir do momento em que deixamos de interessar.
Um bom exemplo está na forma como tratamos os velhos.

Pedro disse...

Feel It
Enquanto os noticiários vão abordando "ainda quentinhos" estes temas já não é mau.

Sininho
É absolutamente verdade o que dizes, com a agravante de muitos "revisionismos históricos" atentarem contra a memória de quem teve o destino desta gente.

Pequena Papoila disse...

São memórias passadas, esbatidas pelo tempo, contudo sempre presentes!
Este Povo, sempre perseguido e sacrificado pela cobiça, alheamento e ignorância de muitos (desde tampos remotos) sempre se ergueu dos escombros das suas vidas - não obstante todas as vicissitudes pelas quais passou - refazendo-as com sabedoria e vigor; transformando as derrotas em vitórias!
O Povo Judeu, talvez por ser especial - notabilizando-se em todas as áreas - foi, e é tão perseguido!
Cabe-nos a nós e a eles também, fazer lembrar os vários genocídios por que passaram ao longo dos tempos, e, reconhecer com destaque, todos os méritos que possuem; no entanto, ficarão sempre as nódoas destes eventos, que jamais se apagarão... ensombrando para sempre a História da Humanidade!

Áurea

Pedro disse...

"Este Povo, sempre perseguido e sacrificado pela cobiça, alheamento e ignorância de muitos (desde tampos remotos)".
Pois, diz bem a Áurea, porque não tarda aí o 19 de Abril (em 1506, massacre de Lisboa)